ESCRITA MEDITAÇÕES PESSOAL

A Escrita de um Livro como Processo de Perdão e Autoconhecimento

3 de Abril, 2021

O assunto está a tornar-se tão sério que acabei de imprimir um manuscrito de um dos livros que estou a desenvolver. Não que isto fosse um segredo e que, do nada, suscite reações de admiração. Nada disso. Creio não ser segredo o facto de estar estampado na minha cara o desejo de publicar livros. Histórias. Algo que faça sentido e que impacte o mundo.

Ao longo da minha adolescência, escrevi desenfreadamente por todas as folhas soltas que encontrasse. Desenvolvi narrativas que, até hoje, mantenho guardadas. Mesmo que não as revisite com frequência, ainda se me palpitam as sensações da época. As noitadas enquanto escrevia sentada na cama e de caderno ao colo.

O rubor de quando passava tudo a limpo e publicava pelo facebook, no social spirit ou no wattpad. A alegria de acompanhar outras fanfictions e observar o crescimento das minhas. Foi uma fase na qual transcrevi quase tudo o que eram fantasias, a maior parte destinada ao meu ídolo da época. Coisas de adolescente.

Questiono-me, no entanto, o que é feito dessa energia criativa. Dessa Carolayne. Essa mesma, que escrevia com o sonho de publicar livros, mas que não se exigia tanto. Que será feito desse sonho? Será verdadeiro, autêntico, ou o que em mim habita é a sombra do que acho querer realizar?