CRÓNICAS FOLHAS SOLTAS DO MEU DIÁRIO PESSOAL

Um Domingo como os Outros, mas Diferente dos Demais

21 de Abril, 2021

Já sei porque me ando a sentir entediada. Raramente tenho marcado presença nas redes sociais. Logo, o tempo que ali dispensava, além de se tornar livre, faz-me sentir desocupada. Não que esteja a reclamar. Aliás, só me apercebi deste facto enquanto lavava a loiça do jantar e recapitulava o meu dia.

Apenas achei importante assinalá-lo, como recordação para outros momentos de tédio. Tenho a leve sensação de que quando presto atenção a certos pensamentos, tecendo cogitações, fica-me mais fácil de solucionar futuros momentos. Torna-se mais fácil de reconhecer o que se passa comigo, conforme as mudanças na rotina.

É domingo, dia 18 de abril.
O sol aqueceu e iluminou este dia, despontando odores adocicados e beijando a pele do meu ombro despido.

Almocei uma das minhas comidas favoritas, seguindo para um gelado. Raramente como gelados ou doces na generalidade, no entanto, apeteceu-me. Fiz uma sesta que me encaminhou daqui para outro lado, embalada pelas vozes da Rita e do Guilherme, hosts no Terapia de Casal.

Já não lhes dedicava a devida atenção há algum tempo, pelo que quando escutei a música introdutória, foi como se tivesse entrado num outro mundo. Vieram ao de cima sensações há muito esquecidas, sobretudo por estar consciente de não me estar a entregar a atividades de que gosto e com as quais aprendo mais sobre o mundo e sobre mim.

Assim que acordei, além de sentir o fresco consequente do tempo que se fechou, as nuvens pontuavam as suas formas no céu. Não posso negar a beleza dos seus padrões, contudo, não contava com esta mudança tão repentina.