Sem categoria

DESAFIO 1+3 "MEDO…"

22 de Julho, 2018
Tenho medo de ficar sozinha. Por muito que repita para mim mesma esta aversão que sinto pela humanidade, há algo em mim que confraterniza com esse sentimento, tornando tudo pesos da mesma categoria, nesta balança à qual posso chamar de corpo, mente, espírito. Por muito natural que seja o fluxo de pessoas na nossa vida, não deixa de custar repensar nesta ideia de abandono, solidão, qual atmosfera que nos suga e nos leva a crer que, por vezes, mais valia a vida ser eterna. Por outro lado, aceito essa condição e vivo-a, assim como a tantas outras. Tenho medo de perder aqueles que amo sem antes atingir o auge da minha maturidade; tenho medo de nunca vir a cumprir com os meus objetivos, provando a mim mesma de que consigo. 
Apesar de ter deixado de recear a opinião dos outros, não fico indiferente à sensação de ser observada, julgada e atirada aos lobos. Querendo ou não, é um medo que nos acompanha sempre, independentemente das conversas que já tenhamos tecido com ele, das armaduras com as quais nos equipamos, das certezas que vamos construindo. Vivemos numa sociedade que nos obriga a conviver com outros, pois, sem isso, não vamos para a frente. E eu tenho medo de que tal dependência nos degrade ainda mais e nos volte a tornar em seres selvagens, sem quaisquer escrúpulos, empatia e respeito.
Tenho medo de nunca vir a ter filhos. Não pela típica cobrança que, infelizmente, nos segue em forma de fantasma faz já séculos, mas sim porque quero mesmo deixar descendentes na Terra, cuidá-los e amá-los e passar-lhes grande parte dos ideais que me tornam a pessoa que sou hoje. Tenho medo de deixar morrer o meu lado criativo e esquecer-me de como o alimentar. Tenho medo de esquecer. Tenho medo de enlouquecer. Tenho medo de me perder em mim mesma e nunca mais ser apta de regressar ao ponto de partida, pois, o da chegada certamente assinalará a morte que me aguardará na meta. Posso não ter medo dela, mas inquieta-me pensar nas pessoas, coisas e feitos que poderia vir a deixar, cedo de mais….
Publicação inserida no projeto da Carolina Nelas, “1+3”.