TBC FEV’20 \\\ “TODOS OS NOMES”, JOSÉ SARAMAGO (*)

Livros passados em Portugal…  Era este o tema de fevereiro, para o The Bibliophile Club e, embora tenha levado duas eternidades – porque uma só não chega para circunstâncias já muito conhecidas! -, no início da semana terminei o livro que escolhi para o mês que, sem nós sabermos, foi um dos mais felizes das nossas vidas. Que direi eu de Saramago que vocês já não tenham lido por aqui? A cada livro, só me deixo encantar cada vez mais e o que me fascina sempre são os temas mais aleatórios que este autor manuseava, sem qualquer tipo de receio – pelo menos, é assim que eu o encaro: um artista destemido e que encontrava na mais simples mola de roupa um motivo para gerar um romance (ou uma controvérsia) -.

Conservatória Geral do Registo Civil, este é o cenário principal de toda a trama, palco para as aventuras de Sr. José, o nosso protagonista. Já cá tenho este livro há uns anos e, na altura, tentei lê-lo, mas adivinhem? Sem sucesso. Li outros livros, conheci outras histórias e, como que a confirmar o que eu tenho vindo a apurar com o decorrer da vida, há um tempo para tudo e a nossa maturidade vai fermentando para poder receber as histórias que ela merece para se firmar ainda mais. Com este livro não se passou o oposto. O que de início me pareceu uma simples curiosidade a tomar conta do corpo de uma pessoa, transformou-se num mar de reflexões acerca da minha existência, da nossa existência (a minha com a do livro e a história que ele carrega).

Por conta de um simples acaso, temos o Sr. José a questionar-se do passo a seguir e se todas as suas ações valerão um único tostão. Há um sentido de compromisso muito bem vincado nesta personagem, embora ele não o reconheça como tal; Saramago apresenta-nos os possíveis cenários de uma rotina pacata e da qual podemos extrair sempre muito mais, se nos encorajarmos a quebrá-la sem dó. Tal como a personagem principal, óbvio que nos veremos numa encruzilhada desconhecida, mas não se tornará a vida muito melhor se, a cada decisão, nos formos descobrindo e fazendo as pazes com a escuridão que habita dentro de nós? Estou para me cruzar com uma história deste senhor da qual não retire nada, mas por enquanto, deixar-me-ei ficar pelo contentamento!

Conheciam este livro do Saramago? Já o leram? Que outros mais aconselham? ♥

→ Publicação inserida para o projeto The Bibliophile Club, em parceria com a Sofia do A Sofia World. Junta-te ao clube no Facebook, ou usa a hashtag #TheBibliophileClub.

(*) Sendo o IMPERIUM um dos blogues afiliados da Wook [PT] e da Bertrand [PT], ao comprarem através do link, estão-me a ajudar com o meu trabalho e eu agradeço-vos, desde já, pela contribuição! Podem ler mais acerca do assunto AQUI!

Deixar uma resposta