Sem categoria

CARTA \ De lágrimas nos olhos, esta vai para ti

26 de Fevereiro, 2017
Não consigo deixar passar mais um minuto desta euforia que estou a sentir por ti, minha querida Kateryna. Tu bem sabes as vezes em que te encho de elogios, mimos, comida, desenhos, mas nada disso é o suficiente para representar o orgulho indescritível que explode, hoje e todo o sempre, no meu peito. Infelizmente, e com muita pena minha, não te consegui aplaudir ao vivo com aquele público, enquanto arrebentas naquele palco, mas fica sabendo que do meu sofá, com um chá a acompanhar, torço por ti e pelo teu sucesso no programa, na vida e em tudo o resto. Mesmo que não chegues a ganhar o prémio final – o que muito sinceramente, duvido que não venha a acontecer! Sei que estás ao lado de bailarinos que também dançam para caralho, mas contigo não se brinca -, a tua paixão por aquilo que fazes já eu assisto desde o dia em que coloquei a vista em ti. Venho aqui, de lágrimas nos olhos, a expressar-me da melhor maneira possível, para te dizer que és a melhor, que se quiseres – e eu sei que tu queres -, tu vais alcançar muitos e muitos patamares; para te relembrar para que nunca deixes esse fogo e essa capacidade de absorver informação para trás; para te elucidar que já conquistaste muitas pessoas e que, no futuro, conquistarás muitas mais. Não digo o que aqui estou a dizer por ser tua amiga, por te nutrir muito carinho, não, digo-o porque é verdade. Escrevo-o, hoje a um domingo, porque mesmo não tendo conseguido ver-te no dia suposto, já repeti duas vezes a tua prestação em palco, com um colega que está muito à tua altura – e, se puderes, diz ao Daniel que ele nasceu para ser o teu par no mundo da dança -, e aqui estou, à tua espera e do teu gangue, para devorarmos uma lasanha em modo de celebração, com muito chocolate e muito chá.
Continua essa rapariga extraordinária, guerreira, bonita, sorridente e feliz como já o és. Sei que ainda terei muitas oportunidades para me colocar no meio do público, assim num lugar mediano para te ver melhor, e para gritar por ti, enquanto esfolo as mãos de tanto aplaudir a tua perfomance do outro mundo. Bem, e sem mais nada a dizer – por enquanto, nunca se sabe -, deixo-te esta pequena carta, pois o Twitter não permite tantos caracteres assim. És grande, miúda!
Com muito amor,
Da Crólina! ♥