Sem categoria

AL DENTE \ Peitos de frango em duas dimensões

25 de Julho, 2016
Sou uma rapariga que adora cozinhar. Demore o tempo que demorar, não há nada que me dá mais prazer do que me enfiar na cozinha, reproduzir receitas, adicionando-lhes um toque só meu; ou inventar, baseando-me nos substratos de outras receitas conhecidas. Durante esta semana, especialmente, tive a oportunidade de “inventar” e reproduzir duas receitas, utilizando um alimento principal: o peito de frango. Não querendo cair nas graças daquilo que já é habitual de se comer com este ingrediente, decidi de certa forma reinventar processos e temperos que, na minha humilde opinião, resultaram bastante bem!

Massa de caril


Sim, leram bem, trouxe-vos massa de caril para o blogue. Estranho para uns, normal para outros, mas garanto-vos de que a junção é maravilhosa! E nada melhor que uma “invenção” destas para satisfazer a fome e cogitar acerca de outras possibilidades para com a receita base. Precisarão de:
  • 2 peitos de frango médios;
  • Massa cotovelo das pequenas;
  • 1/2 cebola;
  • 1/4 de limão (para temperar);
  • Temperos, tais como a pimenta, salsa picada, alho em pó, cebolinho picado, um caldo de galinha, pimentão em pó (paprika), caril, açafrão e gengibre em pó;
  • Água e farinha sem fermento;
  • Uma mistura de folhas para salada;
  • 1/2 tomate.

Modo de preparação:

– 1 hora antes de cozinharem, temperem o frango e deixem-no de molho (menos com o caril e o açafrão);
– Cozam a massa em água a ferver, temperada com sal;
– Refoguem a cebola em azeite, juntamente com uma folha de louro, acrescentando os peitos de frango. Deixem-nos fritar por um bocado, adicionando o caril e o açafrão em pó;
– Acrescentem água, o suficiente para tapar o frango, deixando-o cozer;
– Assim que estiverem cozidos, retirem-nos da panela e cortem-nos aos pedaços;
– Num copo com uma colher de chá de farinha sem fermento, adicionem um pouco de água, de modo a terem uma espécie de massa homogénea, somando ao molho do frango. Esta farinha engrossará o molho que, muito possivelmente, estará líquido. Coloquem a quantidade que vos parecer melhor, de modo a terem um preparo suculento. Recoloquem os peitos já cortados;
– Já com a massa cozida, com a ajuda de uma espátula de aço (parecida com esta), transfiram-na para o molho dos bifes, envolvendo tudo com muito cuidado, para que nada se espalhe. Deixem repousar, enquanto temperam a salada ao vosso gosto;
– Sirvam tudo por camadas e bom apetite!

Crepes com recheio de frango


A Nádia, blogger do Kill Your Barbies, é uma autêntica génia no que toca a partilhar receitas vegans e eu, muito pessoalmente, adoro quando ela o faz! Para além de encontrar sempre uma maneira mais saudável de abordar cada receita original, ela tem a preocupação de partilhar connosco as suas versões, assim como informações muito pertinentes acerca das temáticas vegetarianas e veganas. A Nádia é genial e o meu sentido de oportunidade traiçoeiro. Eram 3h da manhã quando coloquei em dia a minha leitura pelo seu blogue, babando-me logo de seguida quando me deparei com a receita. Eu bem que queria reproduzi-la, mas tal como comentei por lá, não dispunha dos ingredientes necessários, ficando agendado na minha cabeça um outro dia. Acontece que, na hora de almoçar, não estava com a mínima vontade de comer bifes com arroz, decidindo, então, fazer os crepes da Nádia, mas com recheio de frango. Poderão ver tanto a receita da massa como a dos crepes vegan que ela partilhou aqui; eu apenas partilharei do preparo do meu recheio. Tudo o resto, desde o cuidado para com a massa e a forma de as enrolar, estarão no blogue da Nádia!

O que levará o recheio:

  • 3 peitos de frango médios,
  • Molho de tomate;
  • 1/2 cebola;
  • 1 dente de alho;
  • 1/4 de limão (para temperar);
  • Temperos, tais como a pimenta, alho em pó, salsa picada, cebolinho picado, um caldo de galinha, pimentão em pó (paprika), folha de louro;
  • Água e farinha sem fermento.


Modo de preparo:

– Previamente, temperem o frango e deixem-no repousar;
– Numa panela, refoguem a cebola e o alho picados, juntamente com uma folha de louro e um caldo de galinha;
– Deixem fritar, adicionando uma colher e meia de molho de tomate. Mexam bem;
– Acrescentem ao refogado os peitos de frango, deixando-os ganhar um pouco de cor. Mergulhem-nos em água, o suficiente para os tapar e deixá-los cozer;
– Assim que estiverem cozidos, retirem o frango para uma tábua de madeira (ou num prato) e cortem-no em pedaços; 
– Num copo com uma colher de sopa de farinha sem fermento, adicionem uma quantidade de água que vos permitirá obter uma massa homogénea. Ao contrário da receita anterior, o objetivo neste recheio é torná-lo um pouco mais concentrado, de modo a não verter pela massa fora. Caso o molho ainda não tenha ficado espesso, acrescentem um pouco mais de farinha a seco, até obterem o resultado pretendido. Misturem e recoloquem os peitos já cortados;
– Envolvam bem os ingredientes, sempre com o lume brando e apaguem o fogão;
– Tal como diz a Nádia, quando a massa estiver fria, recheiem-na com o frango e levem-na ao forno, até estar um pouco mais cozida ou mesmo dourada;
– Temperem uma salada ao vosso gosto (caso queiram) e bom apetite!