BOX-OFFICE \\ “ONCE UPON A TIME… IN HOLLYWOOD” (2019)

Não conhecesse eu a história por detrás de toda esta concepção e confesso que me teria sentido desorientada com o percurso que a narrativa cinematográfica aqui expressa. Bastou-me que uma das personagens me fosse apresentada para que se me fizesse o clique. A primeira vez em que ouvi falar do caso que inspirou o “ONCE UPON A TIME… IN HOLLYWOOD” foi neste vídeo e que comunica de modo explícito e peculiar todas as informações necessárias para um primeiro contacto com as mesmas.

FONTE: POSTER SPY

Há quem aconselhe a se ver o filme e só depois pesquisar o que é que vive por detrás da cortina, mas por meu turno, penso completamente o oposto: por muito geniais que sejam os filmes do Tarantino, tratando-se de uma espécie de “quase biografia”, acho interessante o facto de qualquer espectador ter o direito de compreender o mínimo dos detalhes, ainda para mais podendo-se tratar de um facto histórico fora dos seus radares culturais. A meu ver, a genialidade desta produção existe exatamente pelos twists na narrativa e que dependem imenso de uma pesquisa intensa e focada naquilo que a inspirou!

Embora se trate de um caso decorrido em terreno americano, isso não nos deveria demover de tomar conhecimento do mesmo, enriquecendo a nossa bagagem existencial. Como sempre, em “ONCE UPON A TIME… IN HOLLYWOOD”, confrontamos a linguagem própria do cineasta, que faz sempre por recorrer aos tons cromáticos ligados às épocas representadas; à montagem de planos que, com o afunilar do tempo, se entrelaçam e complementam; a argumentos simples, mas que por isso não deixam de ser enigmáticos, inteligentes e peculiares; e à performance de todo o conjunto de atores que aqui deram vida às personagens.

Apesar do fluxo do filme começar por ser lento e nada se relacionar com nada, com um pouco de persistência e paciência, deixei-me convencer pela história que o Tarantino nos queria contar e fiquei deveras surpresa com o tom cínico e sarcástico que ele utilizou para reverter a situação verídica, propondo uma alternativa inesperada e que, consequentemente, acrescentou não só pontos ao filme como à nossa própria consciência. E estes detalhes – lá está – só são realmente alvos de admiração devido ao conhecimento prévio que tivermos de toda a situação por detrás, portanto, não se esqueçam de pesquisar mais acerca da mesma antes de se aventurarem pelo “ONCE UPON A TIME… IN HOLLYWOOD”!! Dito isto, não há como não parabenizar Tarantino pelos seus toques de mestre!

Já viram este filme? O que acharam? ♥

Deixar uma resposta