Sem categoria

GUIA KIT DO TURISTA

17 de Setembro, 2018
Viajar não é só pegar nas malas e ir. Quer dizer, também podemos pensar assim, porém, ainda não vivi essa experiência ao ponto de vos trazer relatos fidedignos para o blogue. São Tomé e Príncipe, Bélgica, Roterdão, Porto, Paris e Ilha de São Miguel. Não digo que tenha sido eu a comprar os bilhetes com o meu próprio dinheiro e ido – à exceção do Porto -, todavia, à medida em que fui aprendendo a viajar, que tenho descoberto por conta própria e com base em leituras o que de facto importa quando realizamos uma viagem. Foi na viagem a Paris que me deu para escrever um outro “Kit Do Turista”. Passado um mês e tanto após o regresso, partilho-o convosco. Vamos nessa?
#1 Dinheiro a mais Quando se trata de um destino surpresa, raramente vamos com a noção do custo de vida dos de fora. Como tal, para além da poupança que planeámos, é sempre bom levarmos dinheiro a mais, caso surjam emergências!;
#2 Internet móvel e que corresponda com a rede do vosso destino Parece loucura estar a dizer isto em pleno século XXI, mas a verdade é que eu não consegui apanhar net no meu telemóvel, em Paris. Por um lado, foi bom porque me permitiu estar mais presente nas saídas, sem aquela constante necessidade de partilhar cada grão de areia do solo parisiense. Por outro, houve coisas que valiam mesmo a pena serem partilhadas no momento, mas já passou!:
#3 Conhecimento mínimo da língua do destino Há países que mesmo sabendo o básico do inglês, insistem em conversar connosco na língua deles. Foi o meu caso em Paris: mesmo em estabelecimentos de venda, o pessoal continuava a falar comigo em francês, mesmo quando eu me aproximava com o inglês. A minha sorte é eu me desenrascar minimamente no francês, caso contrário ter-me-ia sido difícil – especialmente sem a internet que não dava em lugar algum, afastando-me da possibilidade de ir ao tradutor!!!! -;
#4 Um tradutor fiável Não que o Google Tradutor não seja bom, mas é de conhecimento público que o mesmo dá alguns erros despercebidos que nos podem induzir a erro. Se conhecem algum tradutor de confiança, apostem nele nos países cuja a língua não vos é conhecida!;
#5 Duolingo, o melhor amigo Sabem quando têm aqueles tempos mortos entre as viagens, ou mesmo quando estão por casa/hotel/hostel/pensão, a olhar para as paredes à espera que os outros se despachem? Pois bem, o Duolingo é a aplicação perfeita para se entreterem! Porquê? Porque vos permite aprender mais acerca de línguas e estando vocês a viajar, porque não ir aprendendo termos básicos e perguntas do dia-a-dia para se desenrascarem melhor? Fica a dica!;
#6 A máquina fotográfica Óbvio, mas ainda existem pessoas que consideram não levar as suas máquinas para as viagens – caso as tenham! -. Por muito boa qualidade que a nossa máquina do telemóvel tenha, nada substitui uma câmara manual ou digital, com as quais podemos captar detalhes a quilómetros de distância e ainda assim nítidos. Nos momentos em que ficava sem bateria nas pilhas, parte da minha alma chorava por não poder fotografar o meio envolvente. Se pretendem guardar algumas recordações em formato físico, ou mesmo fazer postais por ficarem mais em conta, não negligenciem a vossa câmara!!!:
#7 Os horários e itinerários dos transportes públicos Porque não há nada mais gratificante do que não termos de depender de alguém para nos acompanhar nos passeios, caso viva em determinado país e não esteja disponível no momento em que precisarmos. Caso saibam o vosso destino, pesquisem as rotas dos transportes, os preços e os horários, de maneira a conseguirem criar um itinerário pessoal e de acordo com os vossos planos;
#8 Falando em planos, não se esqueçam dos mapas em papel e dos livros turísticos! Até agora, ainda só dei uso aos mapas em papel, mas acredito que os livros também sejam uma mais-valia na hora de explorar um local. Por muito tecnológico que o mundo esteja, nada substitui o poder do papel!;
#9 Um caderno para apontarem os vossos pensamentos Ou um bloco de notas digital, ninguém vos julga! Independentemente de serem bloggers ou não, é sempre bom poder recordar as emoções que nos ditaram aquelas palavras ou os momentos que achámos por bem apontar.;
#10 Não ter medo de perguntar pelas curiosidades Caso contrário, de que vale estar ali?;
#11 Medicação para os enjoos ou de qualquer outro tipo específico Se forem como eu, uma autêntica caixinha de surpresas no que toca aos enjoos durante as viagens ou no dia-a-dia, não se esqueçam de passar por uma farmácia e comprar uma ou duas caixas de comprimidos que vos ajudem a controlar essas manifestações! Com sorte e ainda podem ajudar quem vos acompanha, caso se passe o mesmo com eles!
#12 Protetor solar Tenho de explicar o porquê?
#13 Uma mochila de campismo para as viagens pela cidade/vila Ter espaço a mais numa mochila para comida e água nunca é de mais, não é verdade? E para não falar que as mochilas de campismo são bem mais confortáveis para as nossas costas, exatamente por terem sido planeadas para viagens longas e a pé.
Publicações relacionadas: Lições de uma primeira viagem
E por aí, alguma dica que queriam partilhar? Fiquem à vontade! ♥