BLOG RELATED BLOG'VERSÁRIO

1 ANO DE BLOGOSFERA

31 de Agosto, 2016

É HOJE!   

Faz hoje um ano em que decidi tornar-me numa blogger. Um ano de muita aprendizagem, muitas dores de cabeça, muitas horas sentada a construir conteúdo para partilhar convosco. Doze meses de evolução, de criação, de contentamento pessoal. Se eu me colocar a imaginar como seria a minha vida se o espaço ocupado pelo blogue permanecesse vazio, muito provavelmente começaria uma jornada de vaga tristeza.

Aqui sentada, apercebo-me do quão boa foi a decisão de voltar a escrever, desta vez fora do diário e das folhas brancas que, até aos dias de hoje, trocam de olhares comigo. Escrever a tempo inteiro era algo de que necessitava para me sentir inteira e reconstruir fendas que se quedavam e abriam cada vez mais. Melhor do que poderia ter encontrado, escrever passou a ser mais do que um hobby, tornando-se de forma indiscreta numa terapia.

A cada dia que passa, sinto-me mais à vontade para partilhar coisas convosco; sinto-me cada vez mais animada sempre que pego no telemóvel para fotografar; sinto que posso contar com este espaço como se fosse uma casa.  Lutei contra a preguiça, contra os receios, enfrentei os meus demónios para que todo este estaminé crescesse de forma saudável.

Observar a evolução de um pedaço meu é das coisas mais emocionantes que eu poderia ter experimentado.

Saber que as minhas palavras servem de consolo, de sugestão e de motivação para as pessoas, alimenta-me a vontade de continuar aqui. Nestes últimos doze meses, aprendi que a maior fonte de inspiração vem do meu coração. Aprendi que as pessoas que nos rodeiam são partes do mundo com as quais podemos extrair muita coisa boa. Em um ano, presenciei uma crescente união entre seres individuais que eu pensei que nunca existiria.

Refletir bocados de mim ensinou-me a gostar mais da pessoa que sou. A cada palavra, fui derrubando aquela barreira que persistia em dividir-me do mundo, abrindo-me os olhos para uma realidade à qual eu também pertencia e me destacava por ser diferente dos demais. Ter um blogue ensinou-me que eu não preciso de aparecer na televisão e nas capas de revista para fazer a diferença.

A minha existência como ela mesma serve para que eu me distinga.

Querer alcançar o sucesso pisando os outros não nos leva a lado algum, para além de um mar de amarguras e ódio que nos afasta dos demais.   A Lyne já me tinha aberto os olhos para muitas coisas no passado, contudo, foi neste presente que ela me ofereceu o que eu estava a precisar há muito, mas mesmo muito tempo: paz. O olhar no espelho e sorrir, não obstante as tralhas demoníacas que alimentamos na nossa mente. Os que estão cá fora julgam que manter um blogue é fácil e para todos, mas é nesse ponto em que eles se equivocam: se ter um blogue fosse para toda a gente, todos teriam um.

O segredo para manter um blogue não é sermos melhores do que os outros, mas sim superarmo-nos a nós mesmos. Todos podem criar e ter um, mas só os que estimulam o seu lado criativo e artístico é que permanecem aqui. Escrever não é só preencher cantos de uma folha; escrever é fazer arte. Todos nós subjugamos a criatividade que está em falta, mas já pararam para pensar que talvez o que fazemos diariamente é ser-se criativo, mas refazendo as coisas à nossa maneira?

Se a criatividade estivesse em falta, a genética que nos distingue seria idêntica. Se a própria natureza se encarrega de criar indivíduos únicos, porque haveríamos nós, um produto da criatividade, duvidar do nosso potencial para o igualar?   Obrigada. Obrigada a mim, obrigada a vocês, obrigada ao mundo! A evolução deste blogue não depende só de mim, depende também de vocês! Obrigada por lerem o que escrevo, pelo apoio, por me terem proporcionado um ano fantástico e de muita animação.

Mesmo que os primeiros anos de um blogue sejam divididos com as moscas, em momento algum senti a necessidade de desistir disto.

Para além de que essa desistência poderia suscitar uma grande desilusão para mim, ser-me-ia bastante complicado abandonar as pessoas e os blogues que fui conhecendo e com os quais fui aprendendo a ser mais eu. Tudo ao início é complicado e a melhor coisa que podemos fazer por algo que nos faz bem, e que nos torna mais saudáveis mentalmente, deve receber reconhecimento da nossa parte. Jamais desistam disto de escrever e de partilhar o melhor que existe em vós. Volta e meia, e talvez metade do mundo esteja marcado com as vossas palavras.

Parabéns a nós!